A United HR explica como a redução da taxa Selic aumentará empregos no Brasil

19 de setembro de 2019

O Banco Central comunicou que há “retomada do processo de recuperação da economia nacional” gradualmente.

Diversos indicadores de inflação estão “em níveis confortáveis” e que há risco de “uma desaceleração mais intensa da economia global”. Diminuindo a Selic diminui o valor dos juros do empréstimo e o que ?sobra? será investido no próprio país, prevê Márcio Miranda.

A Selic é responsável pelo comportamento dos juros no mercado, ou seja, ficar com o dinheiro parado no banco não vai trazer muito rendimento depois dessa queda, o que obriga os empresários a produzirem mais se quiserem ganhos melhores. “Isso acontecendo, possivelmente, vamos ter maior geração de empregos e mais pessoas com renda, o que resulta em mais demandas por produtos, quanto maior a demanda mais empregos”, afirma o CEO da United HR (empresa de outplacement e recrutamento e seleção de executivos), Márcio Miranda.

Diminuindo a Selic diminui o valor dos juros do empréstimo e o que “sobra” será investido no próprio país, prevê Márcio Miranda. “Se o empresário investir mais, sua empresa será mais competitiva e gerará mais emprego e, assim, a economia vai se movimentar de forma positiva”, afirmou.

O Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central decidiu cortar a taxa básica de juros (Selic) em 0,5 ponto percentual, de 6% para 5,5% ao ano, na segunda queda seguida. Com isso, a Selic atinge uma nova mínima histórica.

O Banco Central comunicou que há “retomada do processo de recuperação da economia nacional” gradualmente, diversos indicadores de inflação estão “em níveis confortáveis” e que há risco de “uma desaceleração mais intensa da economia global”. Sobre o processo de ajuste e de reformas, disse que “tem avançado, mas enfatiza que perseverar nesse processo é essencial para a queda da taxa de juros estrutural e para a recuperação sustentável da economia”

Fomento ao empreendedorismo, cesta básica mais barata, incentivo para investir na bolsa de valores e um alívio no pagamento de dívidas com empréstimos. Esses são os resultados práticos na vida financeira do brasileiro com a decisão anunciada, pelo Comitê de Políticas Monetárias (Copom) em reduzir a taxa do Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) para 6%, um recorde na queda da taxa básica de juros do Brasil. Economistas e consultores de investimentos explicam que a medida busca dar início a um ciclo virtuoso da economia.

“É mais estratégico investir na sua atividade, aumentar a produtividade e ficar mais competitivo em um mercado onde as maiores empresas precisam de inovação tecnológica. Consequentemente aumentará a geração de empregos. Com renda teremos mais demandas por produtos, quanto maior a demanda mais empregos”, acrescenta Márcio Miranda CEO da United HR.

. . .

Compartilhe:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no email
Email