Dados da United HR, informam que aquisições em junho de 2020 movimentaram contratações

14 de junho de 2020

Evidentemente que a opção dos empresários visionários está apontada para o crescimento via fusão ou aquisição, independentemente do setor da economia caso não queira ficar esperando que o Governo Federal ou Estadual, crie alguma política de fomento, segundo Márcio Miranda CEO da UNITED HR (empresa de outplacement, contratação e recolocação de executivos).

“Como ficar parado esperando um milagre não me parece ser a melhor alternativa, cabe a você empreendedor tomar decisões e tornar-se competitivo” afirma o CEO Márcio Miranda.

Segundo Márcio Miranda da United HR, diante do diagnóstico atual da economia perante a pandemia e a COVID-19, resta-nos viabilizar soluções para que as empresas se tornem mais competitivas, independentemente de ações governamentais ou de organismos estrangeiros. 

E o que me chama a atenção é que existe no ordenamento jurídico e econômico brasileiro, uma figura tão conhecida de todos nós que lidamos com corporate mas que na prática é usada por parcela restrita do meio empresarial brasileiro. Trata-se da fusão ou aquisição, que ficaram bem aquecidas agora em junho em 2020.

  • A Yduqs (YDUQ3) informou que acertou a compra da Athenas, grupo educacional com unidades em Rondônia, Acre e Mato Grosso. O valor inicial da operação é de R$ 120 milhões, sendo R$ 106 milhões à vista e R$ 14 milhões após cinco anos. Além disso, o contrato prevê um pagamento adicional de R$ 600 mil se o grupo adquirido conseguir vagas para curso de medicina, o que pode elevar o valor da operação em até R$ 180 milhões.
  • Controladores da Stone venderam quase US$ 400 milhões em ações da empresa. O bloco vendido equivale a 4,6% do capital da empresa e a 17% das ações pertencentes ao grupo de controle, que inclui os cofundadores André Street e Eduardo Pontes bem como uma série de outros investidores. 
  • Com a transação, os chineses da TCL passam a deter 80% da Semp TCL, fabricante de televisores e smartphones. 
  • A Valmont anunciou a compra de ações da empresa Solbras – Energia Solar do Brasil, empresa nacional no setor de energia fotovoltaica. Com a operação, a multinacional passa ser sócia majoritária no negócio. 
  • A Diagnósticos da América fechou acordo para a aquisição do controle da São Marcos – Saúde e Medicina Diagnóstica, que atua nos Estados de MG e SP. O contrato, divulgado sem informar o valor da transação, prevê a entrega de ações da Dasa aos acionistas controladores da São Marcos, que passará a ser subsidiária integral da Dasa. 
  • A seguradora e gestora de recursos Sul América informou que acertou a compra da Paraná Clínicas Planos de Saúde, que era da Rede D’Or São Luiz, por R$ 385 milhões. 
  • O Click Cash, aplicativo de empréstimo pessoal recém-lançado, anunciou a captação de R$ 2,5 milhões, vindos da plataforma de investimentos Change Invest e de investidores privados do norte da Europa. Fundada em São Paulo em 2019, a startup propõe oferecer empréstimos para pessoa física entre R$ 500 e R$ 2 mil, com aprovação dentro do prazo de 24 horas e pagamento em seis meses.
  • Um grupo de executivos e engenheiros (MBO) adquiriu a Keller Tecnogeo Fundações Ltda. A Tecnogeo era a subsidiária no Brasil do Keller Group (Keller), o maior empreiteiro especialista em geotécnica do mundo.
  • A Concremat comprou 30% da startup Stant com o objetivo de aprimorar o gerenciamento de obras e reduzir o custo de clientes.
  • A Altamira Gold anunciou a venda do projeto de ouro Crepori, no sul do Pará, pelo equivalente a aproximadamente R$ 1,82 milhão.
  • Gestora de investimentos em tecnologia e inovação, a KPTL anunciou um aporte na Gestão Agropecuária (GA), empresa referência no agronegócio digital.
  • A XP anunciou a aquisição de participação majoritária na fintech Fliper, plataforma de consolidação automatizada de investimentos, que oferece aos seus usuários conectividade e ferramentas para realizarem uma autogestão financeira intuitiva e inteligente.
  • A Dasa (DASA3) anunciou a aquisição de participação societária representativa de 60% do Grupo Santa Celina, com sede em São Paulo (SP), por R$ 70,5 milhões.
  • A XP Inc anunciou a aquisição da fintech de seguros DM10, um marketplace que conecta distribuidores independentes com produtos de seguro de vida e plano de previdência.
  • O empresário Marcelo Lima vendeu sua participação de 18% na Alper (antiga BR Insurance) para fundos administrados pelo Pátria e Leblon Equities. 
  • A Boomerang, startup que aluga de furadeira a aparelho de ginástica, anunciou uma rodada de investimento de R$ 3 milhões, liderada pelo fundo Canary e por Ariel Lambrecht.
  • O Banco do Brasil informou que comprou R$ 2,602 bilhões em carteiras do Banco Votorantim (BV Financeira). A operação foi revelada em comunicado sobre transações com partes relacionadas, já que o Banco Votorantim é controlado pelo BB e a família Ermírio de Moraes.
  • A NEO Investimentos está comprando a Argo Capital numa fusão que traz de volta à gestora um de seus sócios-fundadores, Augusto Lange.
    A startup acaba de levantar US$ 4,6 milhões em sua primeira rodada de seed capital com a Monashees, Kaszek e a ONEVC, a gestora brasileira baseada em São Francisco que foi uma das primeiras investidoras da Rappi. Também participaram da rodada o fundador do Nubank, David Vélez, e Alex Bleyleben, o ex-VP da Collective Health — uma health tech da Califórnia e um dos principais benchmarks da Pipo.
  • A Logcomex, startup especializada na inteligência de dados de importação e exportação, que recebeu investimento de R$1 milhão do fundo de venture capital da Caravela Capital.
  • A gestora de venture capital Iporanga Ventures e a Wayra, hub de inovação aberta do grupo Telefónica e uma iniciativa Vivo, anunciaram um investimento na startup de mobilidade VOLL, que totaliza R$ 4 milhões.
  • No último aporte anunciado e liderado pelo DST Global, a Brex recebeu mais de US$ 150 milhões, que foi avaliada em US$ 3 bilhões – o valor anterior era da US$ 2,6 bilhões.

“Fusão ou aquisição, se você ainda não passou, em algum momento vai acontecer em sua empresa, e espero que seja no lado mais forte”, afirma Márcio Miranda CEO da UNITED HR.

. . .

Compartilhe:

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no email
Email