Multinacionais de e-commerce ampliam investimentos em diferentes setores

Por Marcio Miranda, 27 de Novembro de 2018

O Carrefour Brasil desembolsou US$ 10 milhões para comprar a e-Mídia, empresa de conteúdo digital que controla os sites Cyber Cook, Vila Mulher e Mais Equilíbrio. O grupo francês também planeja investir US$ 20 milhões na e-Mídia nos próximos cinco anos, para transformar o Cyber Cook em um serviço de comércio eletrônico de alimentos no Brasil. “Esta transação representa um passo relevante no desenvolvimento da nossa estratégia omnicanal no Brasil, a partir da qual estamos investindo na inovação para oferecer serviços que facilitem cada vez mais a jornada de nossos clientes”, disse o presidente do Carrefour no Brasil, Noël Prioux, em comunicado. Fonte: Valor Econômico

O varejo online tem possibilitado a entrada de médias e pequenas empresas, demonstrando que ainda existe margem de expansão para atender públicos diferenciados, em relação à renda e serviços oferecidos.

Para Marcia Pillat CEO North America da United HR, o comércio eletrônico surge como um aditivo ao modelo de negócio convencional, ajudando a impulsionar as vendas e a alcançar um público diferente. É ainda considerado uma ferramenta de marketing na divulgação de marcas e dos produtos e serviços associados.

Cada vez mais as empresas do varejo nacional estão atentas às mudanças dos concorrentes e passam a apostar em novos formatos de negócios a fim de atender às mudanças no perfil e hábitos dos consumidores, bem como o avanço tecnológico.

Datas comemorativas são uma ótima oportunidade para o varejo, pois além de aumentar o volume de vendas, aumenta também o faturamento devido à venda de produtos com maior valor agregado.

O comércio varejista no e-commerce se beneficiou do maior volume de crédito concedido, em conjunto com a expansão da renda e queda nas taxas de desemprego, possibilitando a entrada de novos consumidores ao mercado. Ainda que a conjuntura econômica adversa nos últimos anos tenha reduzido as vendas do setor, as expectativas de uma menor taxa de juros, associadas a uma queda na taxa de inadimplência e melhora na renda das famílias mostram uma recuperação gradual do segmento varejista nacional, em lojas físicas e virtuais. Tal recuperação se reflete em um aumento da confiança do comércio que passa a investir não somente na sua expansão, mas também na modernização e inovação de suas lojas.

Segundo o eMarketer, o mercado global do varejo gerou cerca de US$ 22,640 trilhões em vendas ano passado, um crescimento de 5,8% em relação a 2016 e liderado principalmente pela China. Em relação às empresas do setor no mundo, o ranking elaborado pela Deloitte mostra que, dentre as 20 maiores em termos de receita gerada em 2015, 10 são norte americanas, seguidas por empresas francesas e alemãs. Fonte: Lafis

Segundo Marcio Pereira CEO da United HR, empresa de consultoria em recursos humanos: ” O E-commerce é um conceito extensível a qualquer tipo de negócio ou transação comercial que implique a transferência de informação através da Internet. O comércio eletrônico é atualmente um dos mais importantes fenómenos da Internet em ascensão, sendo que o mesmo possibilita aos consumidores transacionarem bens e serviços eletronicamente sem barreiras de tempo ou distância”.

Acreditamos que brevemente as fronteiras entre comércio “convencional” e o comércio “eletrônico” tenderão a diminuir. São cada vez mais as empresas a usar o comércio eletrônico como forma de colocar os seus produtos e serviços no mercado, afirma Marcio Pereira.

Leave a Reply

Your email address will not be published.