Números de executivos que se recolocam em Portugal aumentou mais de 18%, segundo dados da United HR

Por Terra, 26 de Junho de 2019

O número de executivos vivendo em Portugal aumentou em 2018: uma alta de 18% em relação a2017. E o número de brasileiros morando em Portugal aumentou 23%. As informações foram divulgadas nesta sexta (28) pelo SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras), órgão responsável pela imigração no país.
A quantidade de brasileiros impedidos de entrar em Portugal também explodiu, passando de 1.336 em 2017 para 2.866 no ano passado. Isto equivale a um aumento de 114,5%.

Segundo Márcio Miranda CEO da United HR, (empresa que assessora executivos em expatriação), Portugal protagonizou uma ascensão meteórica de 23 lugares, face ao ano anterior. No final de 2017, Portugal era o quinto melhor país do mundo, para acolher um imigrante. A primeira posição é do Bahrain, seguindo-se a Costa Rica, o México e depois Taiwan. No top dez só entram três países europeus: para além de Portugal, em quinto, surge Malta, em sétimo, e Espanha, em décimo lugar. Os cinco últimos lugares desta tabela com 65 posições estão a Arábia Saudita, o Brasil, a Nigéria, o Kuwait e, em último lugar, a Grécia.

A maior comunidade estrangeira em Portugal é de brasileiros, Informações do SEF informam que há mais de 480 mil estrangeiros vivendo no país: uma alta de 13,9% em relação a 2017.

Segundo o relatório, isto não ocorre desde 1976, pois o número de brasileiros que vivem em Portugal, no entanto, passou de 100 mil nas estatísticas do SEF. Os números oficiais não consideram como brasileiros aqueles que têm dupla cidadania portuguesa ou de outro país da União Europeia ou quem está em situação irregular.

As autoridades portuguesas têm alertado o aumento do fluxo de imigrantes irregulares, motivado pela crise econômica do Brasil.

O governo português vem facilitando os processos de legalização para imigrantes que estejam trabalhando.

Em 2018, o número de estrangeiros em situação irregular que conseguiram se legalizar aumentou mais de 300% em relação ao ano anterior.

Foram emitidas 16 mil autorizações (a maioria a brasileiros) de residência, contra mais de 3 mil no ano anterior.

Os lusitanos tem título de melhor destino europeu no “World Travel Awards”, (Oscar do turismo mundial).

A chegada de mais brasileiros também acabou congestionando o consulado brasileiro.

A procura pelo passaporte português também deu um salto, após uma mudança na lei de nacionalidade que entrou em vigor em 2017. A partir de então, a legislação estendeu para netos de portugueses o direito à chamada nacionalidade de origem, que permite “mais benefícios” do que a cidadania por naturalização.

Leave a Reply

Your email address will not be published.